mulheres e o mundo tech

Em 8 anos, disparidade de gênero no mercado reduzirá.

Não é novo que o estímulo ao consumo de videogames e produtos tecnológicos desde muito tempo foi destinado apenas aos homens. No entanto,esse cenário vem mudando cada vez mais, principalmente no que se refere ao mercado de trabalho da área de tecnologia.

O mundo tech não é mais destinado apenas ao público masculino. Para Fabiano Braga, gerente de chazz da empresa Everis, a necessidade de contratação de mulheres vêm crescendo cada vez mais, e não apenas para diversificar a equipe, mas sim para oportunidades. “Queremos mulheres na equipe não só para diversificar, mas para que elas possam contribuir para o crescimento da empresa”, explica. De acordo com dados da equipe de Technologies da Randstad- onde 66% é composta por mulheres- de janeiro à agosto de 2017 houve a contratação de 48 mulheres na área. Já no ano de 2018, esse número aumentou 35%, com 65 vagas fechadas no mesmo período de tempo.

E a tendência é que esse número apenas cresça. De acordo com o Girls Who Code, uma instituição norte-americana que visa reduzir a disparidade de gênero no setor da tecnologia, em 2027 a quantidade de homens e mulheres no setor será próximo. Para Fernanda Prado, consultora da área de Technologies da Randstad, há um número grande de mulheres querendo entrar no mundo Tech, e há um grande interesse expressivo das empresas em contratar o público feminino. No entanto, ainda há muito o que melhorar nesse aspecto. “Vemos muitas mulheres nos cargos juniores, mas não em cargos de especialistas ou gerentes”, comenta.

Vivian Lusor