Empresas oferecem benefícios incomuns para atrair e reter talentos

Companhias já se dispõem a pagar parte da conta da farmácia dos funcionários e até contribuir nos preparativos do casamento

Antes de aceitar uma proposta de emprego, o profissional deve levar em consideração não apenas o salário, mas também os benefícios que a empresa está oferecendo. Essa é a recomendação de todos os especialistas da área de carreiras e recursos humanos do mercado.

De acordo com a pesquisa Randstad Employer Brand Research 2018 (REBR), realizada com 175 mil pessoas em 30 países, pessoas entre 25 e 44 anos valorizam melhores salários e benefícios em um emprego. É por este motivo que cada vez mais organizações estão oferecendo benefícios um tanto incomuns, que vão além das obrigações legais. Essa tendência, além de atrair novos interessados em trabalhar nessas companhias, contribuem para elevar o índice de retenção de talentos internamente.

Uma das empresas que tem apostado nesses benefícios é a Pernod Ricard, dona das marcas Absolut, Chivas e Beefeater. A companhia, que conquistou este mês o 2º lugar no prêmio “As Melhores Empresas para Trabalhar em Pernambuco”, anunciado pela consultoria Great Place to Work (GPTW), passou a oferecer para os funcionários em todo o Brasil o auxílio-casamento.

Na prática, o colaborador com data marcada para o “sim” recebe três salários mínimos para que o casal comece a nova vida com o pé direito. “Somos uma empresa que valoriza o bem-estar do funcionário e é muito importante para nós dar este apoio nesse momento tão especial”, explica Cecília Saleme, gerente de Recursos Humanos da multinacional.

Ainda de acordo com o estudo da consultoria Randstad, no Brasil, os brasileiros apontam salário e benefícios (42%) como o maior motivo para ficar. Em segundo lugar vem o ambiente de trabalho (39%), seguido de estabilidade (37%), progressão de carreira (35%) e saúde financeira (34%).

É por este motivo que, além do auxílio-casamento, a Pernod Ricard também oferece o auxílio-farmácia, que custeia de 60% a 90% dos remédios que o colaborador compra com receita. “A marca empregadora precisa estar atenta ao perfil dos talentos que quer atrair, mas, tão importante quanto, é cuidar de quem já faz parte do time. Para que a marca seja sólida, é necessário que o posicionamento seja genuíno”, conclui Jorge Vazquez, presidente da Randstad no Brasil.

Fonte : InfoMoney - 10/12/2018

< voltar à página anterior