o absenteísmo está prejudicando a produtividade da sua força de trabalho?

Os líderes de capital humano estão sempre buscando maneiras de aumentar a produtividade da força de trabalho, por isso é comum vê-los defendendo iniciativas como a qualificação do trabalhador, investindo em ferramentas habilitadas para inteligência artificial (IA) e implementando processos LEAN para aumentar a eficiência. No entanto, existe um compromisso que as empresas muitas vezes esquecem e que pode melhorar significativamente o resultado sem gastar muitos recursos ou orçamento.

O absenteísmo, que pode ter um impacto prejudicial em qualquer organização, está sob o controle dos líderes de capital humano. Funcionários que faltam ao trabalho devido a doenças, estresse, problemas familiares, descontentamento com o trabalho ou apenas por querer um dia de folga extra podem ser um indicador de um problema maior de satisfação da força de trabalho ou preocupações relacionadas. 

Seja qual for a causa, as empresas podem aumentar a produtividade de sua força de trabalho por meio de uma série de ações destinadas a incentivar e recompensar os trabalhadores por uma excelente frequência.

Qual é o impacto do absenteísmo para a empresa e o ambiente de trabalho?

O resultado da baixa frequência da força de trabalho pode ter um impacto nos negócios e no ambiente de trabalho. Por exemplo, ausências não planejadas podem ter um impacto sobre outros trabalhadores, que podem ter que fazer horas extras e trabalhar. 

Isso também ocorre quando funcionários que lidam com clientes estão disponíveis e  interrompem a negociação entre as partes. Atrasos nos projetos e na tomada de decisões são resultados inevitáveis do absenteísmo.

De acordo com os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA, os empregadores americanos perdem US$ 225,8 bilhões por ano com falta no trabalho - uma média de US$ 1.685 por funcionário.

O Instituto de Economia do Trabalho IZA estima que um aumento de 1% na taxa de absenteísmo por doença resulta em uma perda de produtividade de 0,24%. Apenas no Reino Unido, 15,4 milhões de dias de trabalho foram perdidos no ano passado devido ao estresse, à ansiedade e à depressão relacionados ao trabalho a um custo estimado de £ 13,5 milhões, concluiu um relatório.

Embora sua empresa possa não ter experimentado uma perda significativa de produtividade devido ao absenteísmo, você ainda pode tomar medidas para identificar, medir e resolver as causas mais comuns de dias de trabalho perdidos. 

Isso pode exigir mudanças na cultura do local de trabalho, na abordagem de gerenciamento e nas comunicações internas, mas o esforço vale a pena, pois pode ter um impacto de longo alcance além da frequência. 

Você pode encontrar maior engajamento e retenção ao longo do tempo, o que pode impulsionar o desempenho e o crescimento dos negócios.

Será que realmente existe algum problema na minha empresa?

A maioria das organizações não examina regularmente as práticas de presença dos funcionários, a menos que surja um problema, mas isso não deve impedir você de agendar avaliações regulares. 

Só porque os líderes de linha não perceberam um problema, não significa que não haja um. Alguns sinais reveladores podem ser um pico nos gastos com pessoal temporário, como:

  • ausências inesperadas;
  • aumento acentuado no uso de licenças médicas;
  • pedidos crescentes de licença familiar;
  • custos mais altos com seguro saúde

Além disso, os dias perdidos podem preceder um pico nas demissões voluntárias, o que indica um problema maior com a gestão.

Portanto, existem 3 etapas que você começar a considerar:

1- Definir o que é planejado versus as ausências inesperadas

Embora possa parecer um exercício simples, pode ser mais complicado do que se imagina. Por exemplo, os pais em licença maternidade ou paternidade normalmente se qualificam como planejado, mas aqueles que não retornam ao trabalho após a licença ou solicitam licença prolongada devem ser classificados como inesperados. 

Se um funcionário que trabalha por hora só pode completar uma parte de seu turno devido a uma série de razões, você deve categorizar o tempo restante como inesperado? Existem muitos outros cenários em que o trabalho perdido não está claramente definido, mas você deve rastreá-los para determinar se existe um padrão.

2- Use os dados anteriores para determinar como afetam sua organização

Depois de identificar as ausências não planejadas, use os dados para determinar como elas afetam sua organização. Você precisa de talentos temporários para cumprir o trabalho necessário? As datas de entrega do projeto estão sendo adiadas? Suas vendas são afetadas? 

Mesmo situações rotineiras - como chamadas em conferência ou reuniões devem ser reprogramadas devido a um ou mais membros da equipe estarem doentes - devem ser consideradas em sua avaliação mais ampla.

3- Meça a extensão do problema

A partir daí, você pode começar a medir a extensão do problema. Comece com uma linha de base - número mensal de dias perdidos, por exemplo - para rastrear a extensão do absenteísmo em sua força de trabalho. 

Em seguida, observe as unidades de negócios ou grupos funcionais que podem apresentar níveis particularmente altos de ausências não programadas. Para obter mais detalhes, identifique e acompanhe os profissionais que têm registros de frequência irregulares.

Todas as etapas acima o ajudarão a entender por que os trabalhadores não comparecem no horário programado e a determinar as melhores soluções. As razões podem incluir:

  • estresse
  • saúde mental
  • engajamento do funcionário
  • satisfação no trabalho
  • discriminação e intimidação no local de trabalho
  • remuneração inadequada
  • políticas de licença e saúde e bem-estar

Como posso lidar com os fatores que ocasionam o absenteísmo?

1- Estresse no trabalho. 

Um dos motivos mais comuns de desaparecimento de funcionários é o estresse causado pelo trabalho. Quer se trate de ter muito ou pouco trabalho, ficar no escritório por muito tempo, suportar a pressão para realizar ou quaisquer outros estresses, os funcionários precisam de descanso regular de seus trabalhos. 

Uma pesquisa mostra que mais dias são perdidos devido ao estresse e ansiedade do que lesões físicas ou doenças. Tanto o RH quanto os gerentes de linha devem ser treinados para procurar sinais de que um trabalhador está excessivamente preocupado e oferecer maneiras discretas de aliviar sua carga de trabalho. 

Forneça outros mecanismos de apoio, como aconselhamento de saúde mental ou recursos adicionais para ajudá-lo a realizar seu trabalho.

2- Cuidado familiar. As regulamentações trabalhistas sobre licença familiar diferem em todo o mundo, mas sua organização pode querer considerar benefícios mais generosos do que o exigido por lei. 

Tirar uma folga para cuidar de filhos, familiares e cônjuges é inevitável, portanto, verifique se sua política atual atende adequadamente às necessidades de sua força de trabalho.

Considere também arranjos de trabalho alternativos para os novos pais, como horário de trabalho em casa, o que dá aos seus funcionários flexibilidade nas horas em que trabalham.

3- Bem-estar do funcionário. 

As doenças são inevitáveis, mas você pode encorajar estilos de vida mais saudáveis por meio de um programa de bem-estar robusto que não apenas reduz o absenteísmo, mas também melhora o desempenho.

Além de aumentar o bem-estar físico, não se esqueça de que se sentir bem mentalmente é importante, então se certifique de que seu programa também trate da parte psicológica.

4- Intimidação/assédio. Lidar com casos de intimidação e assédio deve ser uma alta prioridade para sua organização. Não apenas são desmoralizantes para os trabalhadores, mas cada infração pode colocá-los em risco civil e criminal significativo. 

Forneça aos funcionários uma linha direta segura ou alguma outra maneira discreta de relatar esses episódios e tome medidas imediatas quando alertados. 

5- Engajamento/falta de interesse do trabalhador. 

De acordo com a Gallup, apenas 13% dos trabalhadores em todo o mundo estão engajados no trabalho. Além disso, as empresas com alta pontuação de engajamento da força de trabalho têm taxas de absenteísmo 41% menores do que aquelas de menor pontuação. 

A Gallup observa que, com resultados como esse, os empregadores precisam ajudar a despertar o interesse no local de trabalho. Você pode considerar como dar mais poder de decisão e protagonismo aos funcionários pode levar a um maior senso de propósito. Ao aumentar a capacitação de toda a sua força de trabalho, você também aumenta o engajamento dela.

O absenteísmo pode ser um desafio grande ou pequeno para sua organização. O grau em que isso pode afetar o desempenho da empresa depende exclusivamente de como você avalia, rastreia e corrige o problema. 

Você busca soluções de RH?

Clique aqui

Você é candidato e quer saber sobre nossas vagas?

Clique aqui