Brasil de trabalhadores satisfeitos, talentos passivos e insatisfeitos

O Índice de Mobilidade da Randstad  WorkMonitor - hoje aplicada em 33 países - é uma pesquisa online realizada com profissionais de 18 a 65 anos que trabalham de forma remunerada um mínimo de 24 horas por semana. A sondagem não inclui trabalhadores autônomos. A pesquisa tem um mínimo de 400 entrevista por país. O instrumentos utilizados é o painel SSI (Survey Sampling International) para definir as amostras das consultas, informa a Randstad. A quarta edição de 2018 foi feita entre 23 de outubro e 8 de novembro. 
De Índice de Mobilidade derivam várias leituras sobre mercado de trabalho, mas o objetivo central da pesquisa é rastrear a confiança do empregado e a probabilidade de mudança de trabalho no horizonte de seis meses à frente.
Na edição do quarto trimestre de 2018, a pesquisa informa que 75% dos brasileiros não mudaram de cargo e nem de empresa nos últimos seis meses de ano. Entre os que 
optaram pela mudança, 15% foram para outra empresa mantendo o cargo; 6% foram promovidos dentro de empresa em que já trabalhavam; e 4% mudaram de empresa e de cargo.
Pelo critério de busca por novas colocações em 2019, a pesquisa de mobilidade no Brasil revela que 30% dos profissionais são classificados como “talentos passivos” - não estão procurando vagas ativamente, mas avaliaram boas propostas recebidas - enquanto 24% estão procurando ativamente novas colocações e outros 43% não estão interessados em procurar um novo emprego. 
  

Fonte : Valor Investe - 17/01/19

< voltar à página anterior