Vá além do inglês fluente para crescer na firma

Veja como uma segunda língua estrangeira ajuda na sua carreira e conheça qual a mais indicada para sua área

Todo mundo tem consciência de que o inglês é exigência constante em diversas oportunidades no mercado de trabalho. O que muita gente pode não ter descoberto ainda é o upgrade que uma segunda ou terceira língua estrangeira pode dar no currículo. Sobretudo no caso de cargos gerenciais e em multinacionais.

“Há espaço para trabalhadores que dominam mais de duas línguas em todas as áreas e profissões. Ter proficiência em outros idiomas além do inglês pode ser o critério de desempate na conquista da vaga em disputa, por exemplo”, como destaca a especialista em Recrutamento da Randstad, Mariana Bergamo.

A pedido do CORREIO, a empresa de recrutamento listou até três idiomas que podem garantir este diferencial competitivo em pelo menos 10 carreiras (veja na página ao lado), entre elas de engenheiro, advogado e administrador. Segundo a especialista, o profissional precisa levar em conta dois fatores ao optar pela segunda ou terceira língua estrangeira: as atividades no trabalho e a nacionalidade da empresa.

Como o inglês já é um idioma quase obrigatório para algumas funções, o espanhol vem em segundo lugar na exigência da maior parte das empresas em função da localização geográfica brasileira. “Muitas empresas têm sede no Brasil, mas expandem a operação pela América Latina, onde o idioma predominante é espanhol. Outras línguas, como francês, alemão e mandarim também são interessantes, mas são diferenciais ou critérios desejáveis durante a seleção, não são obrigatórios”, diz.

Competências

A diretora do ManpowerGroup, Wilma Dal Col, concorda com o poder de um segundo ou terceiro idioma além do inglês. Porém, isso só vai agregar valor de fato caso ele esteja associado a habilidades interpessoais. “O profissional pode ser um engenheiro, vendedor ou publicitário, mas precisa trabalhar isso focado em qualidades como capacidade, vontade e motivação. As pessoas com vontade e capacidade de aprender irão se destacar e estarão em melhores condições de se diferenciar. Ter esse outro idioma está fortemente associado a essa prontidão para aprender”, analisa.

Outro ponto forte está para quem trabalha em funções mais operacionais, como acrescenta Wilma Dal Col. “Grande parte da atuação profissional pode se dar em empresas globais, além disso, muitas vezes é necessário operar ou utilizar equipamentos que vêm com instruções ou interfaces em outro idioma, o que torna esta capacidade mais um diferencial para o profissional”.

Mais vantagens

O idioma traz ainda vantagens financeiras, a depender da função e da empresa que trabalha. Isto porque segundo dados da 57ª Pesquisa Salarial da Catho, profissionais com fluência em inglês chegam a ganhar 70% a mais em relação aos profissionais que não têm inglês e ocupam cargos semelhantes.

Para o espanhol, essa diferença representa 40% a mais na remuneração. Segundo o gerente da Catho Educação, Fernando Gaiofatto, o nível hierárquico influencia o nível de exigência por um segundo ou terceiro idioma. “O inglês já é esperado e, portanto, considerado uma necessidade, sobretudo em algumas áreas. Já o segundo idioma, esse sim passou a se tornar o diferencial no mercado de trabalho, tornando-se um dos responsáveis pela valorização salarial e para a conquista de objetivos profissionais”, fala.

Conhecimento que, de acordo com Renato Trindade, gerente da Page Personnel, empresa de consultoria global de recrutamento, mostra uma bagagem que interessa, e muito, às empresas. “Os idiomas trazem cultura, prestígio, admiração e um aumento de potencial para praticamente qualquer dimensão da carreira. É um investimento dos mais recompensadores”, pontua.

O segredo para conquistar mais espaço no ambiente de trabalho está onde o profissional pode contribuir com a melhoria dos resultados, defende Trindade. “Mostre para a empresa em quais tarefas o seu domínio de idiomas poderá melhorar os resultados: no atendimento ao cliente? Na elaboração de treinamentos mais precisos? Na compra de suprimentos e negociação com fornecedores estrangeiros? Esse é o caminho”, orienta.

RELATO: 'Válvula propulsora da minha carreira'

"Em alguns momentos, falar duas línguas, como o inglês e o espanhol, foi válvula propulsora e decisória em avaliações de desempenho e/ou oportunidades de trabalho em minha carreira . Além do interesse pessoal, pois aprecio bastante viajar e conhecer novas culturas, acredito que estudar novos idiomas e fazer intercâmbio são uma vantagem competitiva. Por essa razão, fiz intercâmbio no Canadá, onde pude estudar, e passei um tempo na Espanha, após a conclusão dos cursos. Isso, sem dúvida, agregou a minha carreira profissional. O contato com essas línguas ampliou a minha grade dentro das perspectivas de encarreiramento na TIM, além de ser um forte diferencial competitivo nas oportunidades dentro de uma multinacional. Por isso, eu acredito que os idiomas, inglês e espanhol, dentro do contexto mercadológico, passaram a ser essenciais para a formação profissional e, desta forma, apreciar outras línguas seria necessário e importante para toda e qualquer pessoa. Penso em dominar também a fluência de outras línguas, isto porque gosto de francês e tenho como desafio o alemão. É o tipo de conhecimento que, sem dúvida, contribui muito na minha rotina de trabalho, sobretudo, para ter o acesso às informações e materiais pertinentes à área de telecomunicações. Além de ampliar aprendizados em matérias similares/complementares e na comunicação com diferentes setores/cargos e para network".

OS IDIOMAS MAIS IMPORTANTES PARA 10 CARREIRAS

. Engenheiro

1ª língua Inglês

2ª língua Alemão

. Advogado

1ª língua Inglês

2ª língua Espanhol (no caso de operações corporativas)

. Profissional de Comunicação

1ª língua Inglês

2ª língua Espanhol

3ª língua Francês

. Administrador

1ª língua Inglês

2ª língua Espanhol

. Médico

1ª língua Inglês

2ª língua Espanhol

3ª língua Alemão (se for no setor de máquinas e equipamentos)

Designer

1ª língua Inglês

2ª língua Italiano

Produtor de Moda

1ª língua Inglês

2ª língua Italiano

3ª língua Francês

Psicólogo

1ª língua Inglês

2ª língua Espanhol

3ª língua Alemão

Analista de Sistemas

1ª língua Inglês

2ª língua Mandarim

Contador

1ª língua Inglês

2ª língua Espanhol

Observação: O levantamento feito pela Randstad indica idiomas que são tendências e potenciais facilitadores. Tem outros critérios importantes na hora da seleção, a exemplo do alinhamento com a empresa, nacionalidade da companhia e tipos de atividades.

ONDE ESTUDAR

1. Nupel (Núcleo Permanente de Extensão em Letras – Ufba) O programa oferece cursos de alemão, espanhol, francês, inglês e italiano. As matrículas acontecem em janeiro. nupel.ufba.br/matricula-20191.

2. Unex (Curso de Idiomas da Universidade do Estado da Bahia) A Uneb oferece cursos regulares tanto de inglês como também de espanhol. www.unexuneb.com.

3. Acbeu O Acbeu tem cursos de inglês para todos os níveis. Até o dia 30 de novembro, a matrícula para novos alunos pode ser parcelada em até oito vezes nos cartões de crédito. www.acbeubahia.org.br.

4. Cultura Inglesa A escola também está com inscrições abertas para o ano que vem. Há unidades na Paralela, Vilas do Atlântico, Pituba, Ondina e Graça. www.culturainglesa-ba.com.br.

Fonte : Correio 24 Horas   19/11/2018


< voltar à página anterior