5 erros que as empresas cometem na integração de trabalhadores temporários

 

Não há como negar a importância de uma boa integração de funcionários. As organizações já estão bem cientes disso. Pesquisa feita pela Society For Human Resources Management mostra que 54% das empresas que realizam programas de integração relatam maior engajamento dos funcionários. A pesquisa também mostrou: 

  • 69% dos funcionários são mais propensos a permanecer com um empregador por três anos se tiverem uma ótima experiência de integração
  • Empresas com procedimentos de integração padrão experimentam produtividade de novas contratações 50% maior
  • Até 20% da rotatividade de funcionários ocorre nos primeiros 45 dias

Esses números destacam o quão importante é garantir que os novos funcionários façam da melhor forma possível o início de suas carreiras.

Além disso, no mundo moderno do trabalho - onde conceitos como flexibilidade e economia gig são mais importantes do que nunca para os empregadores - a integração eficaz é tão importante para trabalhadores temporários  quanto para os colaboradores permanentes.

Se sua organização está se tornando cada vez mais dependente de uma força de trabalho flexível, certifique-se de evitar alguns desses erros comuns na hora da integração:

1. não fazer os trabalhadores flexíveis se sentirem bem-vindos

Os trabalhadores temporários não devem sentir que estão entrando em sua empresa como estranhos e estão simplesmente lá para realizar suas tarefas contratadas o mais rápido e silenciosamente possível. Eles devem ser bem recebidos no negócio por todos, desde gerentes seniores até os membros da equipe com quem trabalharão.

Oferecer uma recepção calorosa ajuda os recém-chegados a se sentirem confortáveis no ambiente de trabalho e ansiosos por fazer o melhor pela empresa, o que contribui para a eficiência e produtividade.

Eles também estarão ansiosos para voltar e trabalhar para você novamente no futuro, estabelecendo as bases para um relacionamento de longo prazo mutuamente gratificante.

 2. não fornecer informações suficientes

Quer estejam com você em caráter permanente ou temporário, uma das melhores maneiras de integrar novos funcionários à sua organização é fornecendo-lhes muitas informações sobre suas funções, a empresa e o que ela faz.

Além de ajudá-los a se sentirem em casa no local de trabalho, isso ajuda a fornecer uma imagem de sua cultura, objetivos e marca geral do empregador.

Deixar de dar aos trabalhadores temporários uma introdução completa ao negócio aumenta o risco deles se sentirem deslocados e, potencialmente, cometerem erros devido à falta de conhecimento.

3. tratar o pessoal temporário de maneira diferente

Alguém que entra em sua organização de forma flexível ou de curto prazo deve se sentir parte da equipe desde o primeiro dia. Ninguém quer se sentir um estranho no local de trabalho, então é uma boa prática definir políticas que incentivem todos os funcionários a tratar cada um de seus colegas de trabalho com igual respeito, mesmo que tenham um contrato de curto prazo.

Os trabalhadores temporários que instantaneamente se sentem parte da equipe serão mais produtivos e também se sentirão confortáveis o suficiente para fazer perguntas e solicitar ajuda, se necessário.

4. não fornecer suporte dedicado

Assim como qualquer outro recruta, um trabalhador temporário deve ter acesso a todos os recursos e meios de apoio de que precisa para fazer seu trabalho adequadamente.

Uma das armadilhas mais comuns em que os empregadores caem ao usar pessoal temporário é esperar que o indivíduo vá direto ao trabalho e entregue o que se espera dele, com pouca orientação ou informações relevantes.

Um contratado de TI experiente, por exemplo, pode ter todas as habilidades essenciais necessárias para fazer o trabalho, mas ainda pode precisar de uma análise do software e sistemas da sua empresa antes de começar.

5. definir expectativas fora da realidade 

Você deseja obter o máximo de resultados com o dinheiro que está investindo em sua força de trabalho flexível, é claro, mas é importante que seja realista quanto ao que espera que os contratados e a equipe  temporária entreguem durante seu tempo com você.

Definir metas que estejam fora da realidade provavelmente fará com que o trabalhador se sinta estressado e infeliz desde o início, e a qualidade de seu trabalho será prejudicada. O mesmo resultado pode surgir se eles tiverem que trabalhar horas excessivas para alcançar suas metas, correndo o risco de esgotamento e erros.

As últimas tendências de RH e da força de trabalho sugerem que contratados e trabalhadores flexíveis se tornarão uma fonte de habilidades cada vez mais vital nos próximos anos. Adotar práticas positivas e investir na integração adequada da equipe ajudará a garantir que você obtenha o máximo de benefícios dessa parte do pool de talentos.

Compartilhe esse conteúdo em suas redes sociais: